Oratorium Age's

Constantinopla By Night
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Victorius Vlašicc Obertus

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Leyryel
Admin
avatar

Mensagens : 452
Data de inscrição : 17/09/2009

MensagemAssunto: Victorius Vlašicc Obertus   Ter Dez 15, 2009 1:54 pm

A Face da Besta, a Nobreza de um Monstro



Victorius Vlašicc Obertus


Falo de Forma Amena Sentado em uma Cadeira no Pequeno e Escuro Cômodo de Pedra Dura. -> Comecemos pelas Formalidades. //Sorrio sem Interesse//. -> Sou o Seu Senhor, Victor Vlašicc Obertus. //Falo com Solenidade e uma meia Mesura, logo depois recostando as costas na Poltrona Acolhedoura Enquanto Fito a Jovem que antes Tratava como Serva e Hoje Muito Menos que Isso//. -> Entre os Rios Tigre e Eufrates e a Lama do Delta do Nilo esta a Nossa Terra, os Cárpatos. //Levo a Taça a Boca, Tomando Pouco e sem Presa//. Em um Tom Neutro sem qualquer Deslize Emocional. -> Deveria Dizer “Meu Lar”. //Sorrio levando a Mão ao Queixo e me Assentando Melhor a Cadeira//. -> Muitos levam Vidas Simples e Pobres, sem chegar a conhecer o Oculto pelo Véu do Burocrático Clero e suas Tortas e Flácidas Pernas Resguardadas pela Ignorância. //As Palavras Denotam Total Desprezo//. -> Não Percamos Tempo com a Bastarda e Suas Marionetes Iludidas. //Movimento a Mão Demonstrando Pouco Caso. E Depois de Alguns Estantes Retiro a Mão do queixo Abandonando a Expressão Ausente, Enquanto deixo Meus Olhos Percorrerem seu Semblante em uma Clara Análise//. -> Sei, Sempre Soube. O verdadeiro Mundo, Tudo que se Esconde e Caça a Noite nunca foi Segredo ou Oculto a Mim. //A Fito com Descaso//. -> O Véu da Ignorância nunca Protegeu minha Mente ou Corpo, prova agora não mais "Viva" da Vontade desses “Seres da Noite”, do que agora Mesmo eu Sou. //Dou Mais um Pequeno Gole, Logo Recostando a Taça ao Braço da Poltrona//. Sem Qualquer Emoção ou Denotação Especial. -> Um Cainita ou como vocês dizem “Vampiro”. // Pauso Minha Fala de Forma Sutil, Atento a Mulher e Suas Reações ao Termo tão Impróprio, Vulgar. Com o qual Estas Conheciam minha Raça. Depois Prossigo minha Fala//. -> Na Romênia aonde Nasci e Renasci. Antes do meu “Abraço” fui por muito Tempo um “Szlachta”, Vassalo Fiel e Dedicado, um “Brutos” e ao Mesmo Tempo Muito Mais que Isso. Um Guerreiro Completo. //Sorrio Mexendo Sutilmente na Taça e Vendo seu Liquido Rodopiar Elegantemente Dentro do Pequeno e Belo Frasco//. -> Naquela Época e Ainda Hoje Minha Missão era Guardar e Proteger minha Família, os Servos “Intelectuais” dos Tzimisce os Renevantes Obertus ((Comentário: Ramo de Filósofos, Historiadores e Intelectuais a Serviço dos Demônios)) e os Grandes Lordes desta Terra Distante. //Cheiro o Liquido na Taça, Sorvendo Seu Aroma com Elegância e sem Pressa//. -> Bom o que Falar da minha Infância? //Passado Meia Hora Depois de Inúmeras Caretas, Contrações e Aparente Dor Fantasma//. -> Prefiro Adiantar a Historia. //Mudo o rumo da Conversa, Afinal Não queria Quebrar a Já Abalada Mente de Minha Posse, Mal Começara a Narrativa e Nem Chegara a me Divertir Ainda//. -> A Minha Família como Ramo Intelectual, Vassalos Eruditos não Abriga muitos “Braços Fortes” se me entende. Ainda que Preparados a Guerra Deveríamos representar os Sábios Reclusos e a Maioria representa isso na Verdade. //Isso não Combina com o Físico de Victor que diz Exatamente o Contrario. A Primeira Vista a Jovem Imprudente não Deixa de Tira-lo como um Grande Brutos//. Victor Vlašicc Obertus, Encarando Perigosamente por Sobre o Olhar que a Jovem Lançara sobre seu Corpo. -> Pelo que Deve Perceber Também Tenho Outras Qualidades, mais não Ouse pensar que sou Desprovido destas Características ou mesmo um Ignorante. //Dou o Assunto por Encerado Conduzindo a “Conversa” a Outro Caminho//. -> Normalmente a Força Bruta é por conta dos Bratoviches os //Faz aspas com os dedos//. -> “Guerreiros Monstruosos”. //Fecha as aspas//. -> Mais isso era um Luxo para os Lordes. Nos como Também os Bratoviches éramos Apenas “Servos”, Responsáveis Obviamente por nossa Própria Segurança. //Tomo mais Um Sutil Gole de minha Bebida//. -> Não que Estivéssemos a nossa Própria Sorte Claro, Nunca Fomos Indefesos. //Meus Lábios se Estreitam e um Sorriso Sutil Desponta//. -> Alem de nossas Já Satisfatórias Capacidades, os Demônios nos Moldavam a sua Própria Utilidade a qual Restávamos Fazer o Possível para Transformar Produto em Utilidade. //Ainda Brincando com o Doce Liquido Suspenso e Rodopiante em Minha Mão//. -> Algo Alem do Prazer e Contentamento de Meus Senhores algo para Nos.

//De Forma Imparcial//. ->Quando não cuidando dos Interesses desses Imortais ou de algum Bando Nômade de Passagem em Nossas Terras. //Olho-lhe nos Olhos//. -> Claro que qualquer Sabá é Bem recebido pelos de minha Casta Mortal e mesmo o mais Exigente Demônio bem diria nossa Hospitalidade. //Demonstro Orgulho ao Falar da Competência dos Obertus//, -> Mais vamos Falar um pouco das Outras Famílias. //Fala com Descaso// -> As Famílias Renevantes, como são Conhecidas não são muito, como direi... //Parecia Buscar a Palavra Apropriada//. -> “Corteses”. //Sorrio Pelo Termo Usado//. -> Na Verdade o único Denominador Comum é nossa Lealdade aos Senhores da Terra. Mesmo Eu já fui Mandado em Tantas Missões contra outras Famílias Renevantes quanto contra os Inimigos de nossos Lordes e acredite ou não, //Como se o que Ela Pensa Não me Importa-se e Realmente não Importa//. -> Fui Melhor recebido Matando por minha Família do que pelos Lordes. //Complemento//. -> Apesar de estar aqui por nunca ter Falhado com meus Antigos Senhores Logicamente. ((Comentário: Os Demônios não são Conhecidos por sua Grande Benevolência nem Costumam ter Grande Tolerância de qualquer Forma)). -> Não nos Desviemos, não Quero que a Noite acabe sem Progredirmos ao Menos Significativamente. //Levanto-me com a Taça já Vazia e Enquanto Ando pelo Pequeno Cômodo Parecendo Relembrar Algo, Aproximo Minha Taça de um Grande Barril de Madeira//. -> Como sempre Fui bem Destacado Fisicamente, mesmo na Infância. Foi Decidido por Minha Família que seria mais útil como um “Combatente”, um Guerreiro há Guardar o muito que minha Família Guarda e não Mais um de Seus Inúmeros “Escribas”. //Já com a Taça Reabastecida Volto sem Presa ou Entusiasmo a Poltrona Confortável//. -> Mesmo tendo Modéstia Parte, Visível Potencial para um “Típico Sábio Recluso”, como costumam Descrever os Membros de minha Casta ((Família Obertus)). -> Havia em Mim outras Aptidões que Achavam Merecer melhor “Aprofundamento”. Obvia Utilização. //Enquanto com Pouco Caso Seguro a Taça em Minha Mão Direita, Brinco com o Braço do Banco em minha Outra Mão Como se me Esquecesse da Companhia e Olhos Atentos Sobre Mim//. Algum Considerável Tempo Depois. -> Por Fim. //Volto a Falar de Forma Despretensiosa e Natural como se não Tivesse Aberto Tamanha Lacuna Temporal entre Nos//. -> Assim fui um “Szlachta”. // Falo Denotando Muita Importância ao Termo. Deixando A Palavra Pesada como se Tivesse um Significado Impronunciável, Algo Visivelmente Tenebroso mesmo sem Detalhes//. -> Por muito Tempo fui o Guarda, Batedor, Guerreiro, Sentinela ou o que mais conviesse a Família e aos Lordes, um Servo ainda que Nobre. //Continuo discursando com Nobreza//. -> Servindo a Muitos e Fiel a Cada um Deles. Sei cada um de Seus Muitos Nomes Embora Provavelmente Nenhum Deles se Lembre do Meu.

//Levo a Mão a Boca como se Sentisse um Gosto Agradável, na Verdade Delicioso//. -> Ainda Sim, Tive o Prazer de Sentir. //Como se Lembranças Viessem a Minha Mente//. -> O Melhor Incentivo que um Servo pode ter é o Sabor do Sangue, não a nada mais que Posamos Querer ou ainda em Sonho Igualar a Necessidade. //Voltando à Frieza de Antes//. -> Embora Continue Delicioso, já não me Trás mais o Mesmo Fascínio Posterior, a Satisfação e Desejo estão cada vez mais Distantes. //Como se Pensasse no Assunto//. -> Talvez Seja A Idade Embora Ainda Seja Novo, Começou Quando fui Transformado e só Tem mais Tornado-se Recorrente. //Mantenho o Ar Serio e Pensativo, Parecia ponderar Bastante Sobre o Assunto//. -> Ainda não Compreendo Totalmente as Mudanças neste Corpo, apesar de Velho, como Filho de Cain sou Novo. //Saboreio Minha Bebida, Falando com Entusiasmo//. -> Devo Elevar meu Corpo, estou Longe do que Objetivo e isso me Torna Meu Principal Experimento, //Falo com um Sotaque Carregado de Sabor, Mesmo Volúpia e Desejo Para com meu Próprio Corpo//, -> Mais voltemos há meus Anos como Guarda.

//Mudo o Rumo da Conversa, Deixando qualquer Traço Emocional//. -> Nos Raros Momento que a Dor e Contração, //Demonstro Desejo nos Olhos apesar de ainda manter o Tom//. -> Luxuria pelo Sangue ou Mesmo Desespero pela Falta Dele me Permitiam Pensar. //Pauso um Pouco Mostrando Olhos ainda Mais Frios que o Comum//. -> Normalmente Meses depois das Ultimas Modificações na Carne e Ossos. //Apoio o Cotovelo no Braço da Poltrona//. -> Conseguia Pensar, mesmo que pouco ainda um Pouco. //Sorrio sem Intensidade//. -> “Pensar” era Muito Difícil Nessa Época. //Volto a Sorver o Liquido em Minha Taça//. -> Mais Ainda assim Por alguns Poucos, mais Preciosos minutos Pensava. //Deixando a Taça na Pequena Banqueta ao Lado Esquerdo da Poltrona//. -> Não que não fosse Invejado, Era a “Nobreza”. Afinal era um Szlachta. Agora, Bem melhor Tratado na Família e em Contato Direto com os Lordes.Uma Grande Honraria. //Fitava sem Muito Interesse toda a Compleição Física de Minha Nova Posse//. -> Tinha Regalias em minha Família, mesmo Bem mais que uma "Esposa" Para os Momentos de Crise e Falta de Sangue, //Olhava a com Olhos Desejosos//. -> A Falta de Sangue Aumentava minha Luxuria e Me Trás o Mesmo Hoje, //Volto a Pegar a Taça Sorvendo Um Gole Mais Farto do Liquido Rubro, Depois com os Lábios Ainda Suavemente Tingidos Sorrio-lhe com Visíveis Segundas Intenções//. -> Um Velho e Delicioso Habito que não Faço a menor questão de Esquecer. //Olhando com Indescritível Prazer//. -> Muito Menos Tento Conter quando vez ou outra sou Instigado. //Ainda Brincava com a Taça Parcialmente Cheia em Minha Mão, Enquanto a Mexia Movimentando Circularmente seu Conteúdo//.

//Sorrindo-lhe Zombeteiramente e menos Interessado, enquanto Recoloco a Taça por Sobre o Apoio Lateral//. -> Um dos Poucos Passatempos que não Abro mão Verdade. ((Comentário: Ele não entende sua Perturbação Obertus Dependência Sexual como um “Defeito”. Considera um Passatempo Interessante. Um bom habito como o Viciado que diz “Poder parar quando bem quiser” sem entender sua Própria Compulsão pela Droga)). -> Mais voltando ao “Conseguir Pensar”.

//Guio o Assunto//. -> Nesses momentos de Lucidez, ainda que Inebriado por uma Dor tão Debilitante que Era Melhor não Estar Lúcido. //Sorrio Amargamente//. -> As Manifestações em Carne da Vontade de Meus Senhores, //Levanto a Taça Sutilmente em Um Brinde Amargo e Curto//. -> Enfim Depois de Passar mais Tempo do que meu Estado permitia-me Lembrar sem ainda Conseguir mexer-me, Mal Respirando e Quase Morrendo por esse Gesto Simples. Aquela Paixão Débil Cedeu um Pouco e pude Perceber. //Sorrio como um Vitorioso por minha Descoberta//. -> Ser sempre o Servo, o Dispensável o Substituível. //Falo com Amargor, um Olhar Ferido//. -> A Verdade Finalmente Alcançara Minha Compreensão. //Falo de Forma Racional Isenta de Emoção//. -> Sabe algo no Sangue Força nossa Servidão, Multiplica Múltiplas Vezes nossa Afeição pelos Lordes e Eu que tive o Privilegio e Martírio de Servir Vários. //Meus Olhos Tomam um Brilho Confuso, Distante//. -> Quase tive a Mente Partida. //Fecho os Olhos. Massageando Minha Têmpora Esquerda com a Mão deste Mesmo Lado Ainda Também Apoiada ao Braço da Poltrona//. -> Podia Sentir mesmo no Mais Fundo de Minha Mente. //Levo a outra mão a cabeça massageando calmamente agora os Dois Lados naquele Gesto Relaxante, tentando diminuir o mau estar que tomara-me//. -> Ate mesmo em minha Alma, meu Espírito estava tão Dividido, Condicionado. //Volto o Olhar a Realidade//. -> Que seja ate Apaixonado, //Meu Olhar se Torna Frio e Feral//. -> E Mesmo assim Abandonado por Todos esses a quem tão Insuportavelmente “Amava”, não a como Explicar-lhe com simples Palavras a Intensidade daquele Desejo e Frustração. A Devoção que Lhes Prestava. //Pausa Longa Enquanto Olho para Minhas Próprias Mãos a Movimentando Lenta mais Repetidamente//. -> Nenhuma Droga Mortal ou Feito Blasfemo se compara ao Éden do Sangue. //Olho para as Veias no Lado Interno de meu Pulso//. -> Apesar de não ter Naquela época os Conhecimentos que tenho Hoje não era um Mortal Iludido, sabia de alguns dos Poderes do Sangue, “Sabia” da Dependência que Causavam ate descobrir o “Quanto Não Sabia Nada”, Eu que Sempre fui do Sangue e Percebi a Dor de não Telo. //Minha Boca parecia ter Secado Muito, e passo a Língua Umedecendo os Lábios//. -> Sentia em Mim Afinal o que Precisava “Saber”. //Bebo um Pouco mais da Taça quase Vazia//. -> Cada Pequena Abstinência era Suficiente para Deixar-me quase Insano, algo Falso mais tão Doloroso ... Verdadeiro ... //Pequena Risada sem Contentamento//, -> Um Amor “Artificial” mais Forte e mais Intenso do que Todos os poucos “Verdadeiros que Tive”. //Falo Sobrecarregando as Palavras//. -> Era Incomparável, me Mataria Facilmente se pedissem, //Meus Olhos Ficam Vazios//. -> Mais Deixei que Fizessem coisas muito Piores. //Minha Expressão Torna-se Vazia//.

//Fico um Longo Tempo sem Falar, Olhando Para o Nada Ate que me Levanto Dando as Costas para a Pessoa a quem Relatava meu Passado//, -> Não que tenha Sido um Mar de Rosas. //Havia Novamente Mudado de Assunto Enquanto Calmamente andava pelo Cômodo//. -> Não a nada Comparável a Crescer no Seio de minha Família. //Viro-me lhe Apontando o Dedo Indicador ainda que Sem Entusiasmo ou Intensidade, como se por Algum Motivo Estivesse Decepcionado//. -> Mais Você Pobre Tola não Conseguiria Compreender Isso. De Fato a Compreensão do que lhes Digo, Foge-lhe os Olhos. Não Encontro em Ti Compreensão. //Olhava com Desprezo Depois Retomando o Assunto Ainda que sem Animo//. -> Voltando ao Sangue e sua Falta. //Paro um pouco como se Estivesse Relembrando//. -> Algo Forte começava a partir Dentro de Mim. Principalmente quando Estavam Longe. //Olhar Distante//. -> Ainda não Sabia bem o Que. Tanta Pele, Nervos e Ossos se Partiam ao mesmo Tempo que é ate Compreensível. //Volto a Caminhar pelo Pequeno Cômodo Exibindo um Sorriso Triste//, -> Mais não era essa a Causa, Acredite estava Acostumado à “Seleção Natural”. Apenas os Melhores sobrevivem em minha Família. E quando servindo aos Lordes ser o Melhor ainda Não é Suficiente. //Meus Olhos Tomam uma Distancia e Frieza Assustadora//. -> O que mais Doía era a Humilhação, nunca ser Reconhecido Depois de Tamanha Dor e Devoção, //Fala com Rancor//, -> Dor Diária as Vezes Ininterrupta por Semanas. //Pequena Pausa//. -> Ser sempre e Infinitamente o Servo. Desnecessário. Desprezado.

//Fala mais Neutra// -> Quando Finalmente Voltei a ser Útil, Conseguir Mexer-me Após a Transformação. //Realinho as Mangas de Minha Blusa sem Pressa//. -> Minha Família, os maiores entre os Servos Estava Sendo Agraciada. ((Comentário: Lógico que esta falando dos Obertus)). //Meus Olhos Frios e Fala Mais Imparcial Voltam a ser Constantes//. -> Bem um Lorde Acordara. Despertara do “Longo Sono” que chamamos “Torpor”. //Volta a Caminhar pelo Pequeno Cômodo, chegando mais uma Vez a Poltrona aonde Sento com a Taça já Reabastecida//. -> Este Desperto estava Cansado, Fraco e acima de tudo Confuso, Ultrapassado. //Faço um Sinal de Descaso com a Mão//. -> Coisas bem comuns aos Velhos do Sangue, mais o que realmente nos Importa e não poderia deixar de ser feito claro, era sua Acomodação. //Pequeno Gole//. -> Minha Família, e Me Incluo Nela. //Brinco com a Taça como se Estivesse Entediado//. -> Ficará Responsável por sua “Atualização” e Segurança, Por prepará-lo Para o Canibalismo dos Membros. //Sorrio Parcialmente//. ->Era eu A mistura Rara de Guarda e Cavaleiro sem qualquer Modéstia muito útil e Somando-se a Minha Inteligência, Desempenho e Pré Disposição a Servi-lo conseguia a Grande Honra de Destacar-me a seus Olhos. ((Comentário: Minha Família conseguiu a “Tutela” do Ancião. Por ter Grande Prestigio naquela Região entre os Demônios e por Serem Servos de Confiança. Eu como um dos poucos “Nobreza” da minha Casa naquela Área. Fiquei Responsável pela Escolta Particular do Demônio e Passei há Ficar Muito Tempo com o Mesmo, Me Tornando Posteriormente seu Braço Direito)). -> Depois de Reintegrado e Já Tendo Dispensado a Maioria de nossos Serviços o Demônio ainda Sim me Manteve como Servo, //Sorrio com o Reconhecimento//. -> Voltou a Utilizar meus Mais diversos Serviço. //Toco em Meu Próprio Pescoço//. -> Me Considerou adequado para Servi-lo ainda que Alem. Considerara meu Valor e Ficara Satisfeito. //Sorria Orgulhoso//. -> Eu Era Enfim Digno de seu Sangue. //Meus Olhos Então Tomam um Brilho Sobrenatural e Altivo//. -> Eu então renasci como Tzimisce.

//Demonstrando Contentamento e um Orgulho mal Disfarçado//. -> Por mais que Tivesse imaginado, por mais que Soubesse já não ser Humano Antes, //A Narrativa Tomava Entusiasmo, mais a Pauso Brevemente Voltando a Argumentação a seu Tom Normal//. -> Mesmo antes de meu Abraço, nunca me considerei um Mortal. Minha vida era tão diferente tão Incomparável com a patética Ignorância de Vocês. Enfim Já me Considerava “Diante a Imortalidade”. //Passo Algum Tempo sem Falar apenas Relembrando. Visivelmente Saboreando Essas Memórias. Divertindo-me com Minha Própria Ignorância e Imaturidade ((Felizmente já Superadas))//. -> O quanto estava errado. Nada, nada pode ser comparado ao “Morrer”. Não digo que já não estive perto da Morte antes. Já Beirei e Cheguei a Estar mais Morto do que Vivo Inúmeras Vezes, //Acaricio o Braço da Cadeira com minha Mão em Alguns Movimentos Suaves e Despretensiosos//. -> Muito mais pelas caricias dos Lordes do que pelas Mão de Inimigos mais agora estou de fato “Morto”. //Bebo mais da Taça, como se Tomasse Fôlego mais não Chego a Fazê-lo. Realinhando com Calma a Abotoadura de Minha Blusa com a Outra Mão me ajeito sem qualquer Presa//. -> Muitos Tolos em Condição Semelhante não Entendem Mesmo também Estando Mortos, Transformam esse Magnífico Dom em uma Simples e Mal Utilizada Maldição. //Termino de Realinhar Minha Blusa, Deixando-a Impecável//. -> Meu Mestre Único que Hoje Julgo Digno deste Termo. ((Comentário: Ainda Hoje o Respeito Profundamente, Estando mais que Inclinado a Cumprir suas Ordens não pelo Laço de Sangue mais por Pura e Simples Lealdade, Retribuição)). -> Ele compartilhou comigo Sua “Maldição” este Estado Morto, a Besta Interior. Males muito Maiores do que as Palavras podem Transmitir. //Apesar de Falar de Complicações não me Mostro Temeroso ou Resignado//. -> Mas Dera-me Possibilidades, apesar de termos Inúmeros Males, alguns que Prefiro não Pronunciar para Poupar sua Patética Mente. //Falo como se Falasse com “uma Criança Jovem de mais para saber sobre “Assuntos Adultos”//. -> Agora O Distante Estava Próximo, Algo que como Servo nunca foi me Dado enfim chegara a Minhas Mãos. Tinha Possibilidades, Escolhas, Caminhos. Uma Imortalidade de Benção ou Dor Definida não Pela Vontade de Outrem como sempre Fora tudo ate Então em Minha Vida. //Aperto Sutilmente a Taça por Entre Meus Dedos Demonstrando Tensão//. -> Agora Tinha Escolhas, Caberia a Mim Moldar qual Moldavam Antes e ao Mesmo tempo Melhor, Não para Outrem, Um Simples Servo Descartável. Não Mais Uma “Latrina”. //Falo com Aparente Nojo do que já Fui//. -> Nada mais meu Seria Deles, seria agora Moldado por Mim e para Mim Mesmo. //Paro para Saborear essas Palavras//. -> Faz idéia do que isso Representa? Poder Moldar sem mais ser o Moldado, Transformar Corpo, Espírito. Moldar para Crescer, Erro e Aperfeiçoamento, Experiência e Elevação. Moldar para Evoluir, Transcender a Dor e Impureza, a Imperfeição da Carne Mortal. //Demonstro Satisfação, Desejo e Ate Mesmo uma Devoção quase Religiosa//. -> Antes do Abraço meu Mestre já me Instruirá, um dos poucos que Falavam Alem das Ordens. //Faço uma Pausa Breve//. -> Bem não Tenho Ilusões sobre seu Bom Coração, mais este Buscava mais que um Servo Eficiente. Ele me Encontrou. //Sorrio Satisfeito//. -> A Longa Vida Talvez Aumentasse sua Solidão, não Sei. //Digo como se de Fato não me Importasse//. -> O Resultado Contudo. //Volto a Sorrir Sutilmente//. -> Foi um Interesse Genuíno em Mim. O que Permitiu-me Ser mais que “O Servo”, me Tornara um “Igual”.

//Me Reclino Confortavelmente, Tocando o Encosto da Poltrona Com as Costas Enquanto Continuo a Narrativa//. -> Ate Mesmo por nossos Conhecimentos e Familiaridades poucos Renevantes são Abraçados, mais eu “O Fui”, uma Honra para Toda Minha Família, mais Acima de tudo algo para Mim, Finalmente Eu em Primeiro Lugar, Finalmente Satisfação. //Meus Olhos Brilham Satisfeitos//. -> A agora Cedida Benção, o Presente de Cain. //Passo a Mão Por Sobre o Peito//. -> Um Corpo tão Melhor, tão mais Puro e a Cada Passo tão mais Perfeito. Mais e mais Próximo de algo Único. //O Orgulho se Torna Visível em Minha Voz//.

//Observo Interessado a Corrente Sanguínea da Minha Presa seu Coração Acelerado//. -> Distante do Servo que já Fui, Longínquo do Humano que nunca Cheguei a Ser. Os Dias que Passei Silenciosamente Amargando minha Condição de Servo Descartável, //Sorrio Amargo depois Ganhando entusiasmo na Narração//. -> Estão tão Distantes Agora, //Falo com Seriedade mais indescritível Prazer//. -> Sou Enfim Superior. //Volto o Olhar para minha Cobaia Pendurada a poucos Centímetros do Solo, Presa a minha Frente//.

//Depois de Fita-la Pelo que Pareceu-lhe uma Eternidade//. -> E então minha Nobre Senhorita, //Olhar Debochado cheio de Sarcasmo//, -> Lhe dei um Conto Suficiente? //Me Levanto sem Presa, me Aproximando Lentamente da Mulher Imóvel e Silenciosa ((Presa e Amordaçada)). A Tremer mais e mais com minha Aproximação Completamente Alterada//. -> Já Sabes Tudo que Poderia Saber. Muito Mais do que Fazes-se Digna de Ouvir. //Continuo a me Aproximar Já Colando Nossos Corpos Sem Pudor//. -> Com Palavras ou Gestos Tente Convencer-me esta Noite. //Lhe Sorrio de Forma Maliciosa//. -> Surpreenda-me e se Puder Fazer Isso. //Um Olhar Diabólico Penetra Seus Olhos Chorosos Enquanto tiro a Mordaça Dela, Percebendo que lhe Falta Forças e Coragem Para Gritar//. -> Pode estar Viva Amanha, //Lhe dou Esperança, Vejo Seus Olhos Ganharem Algum Brilho enquanto Agora já Muito Próximo Seguro o rosto Dela com uma de minhas Mãos o Deixando a Centímetros de Minha Própria Face. Posição na qual Lhe Olho com Visível Desejo. Sentindo Sua Respiração Quente Descompassada em Minha Pele Fria//. §Bela ainda que Natural§. //Sorrio Diabólico// -> E seu Pai e Seu Irmão. //Ela parece se Contorcer ao Lembrar Deles, mais quase não tem mais Forças//. -> Me Satisfaça e não terei que Procurar sua Pequena Irmã. //Abro a Blusa Dela Aumentando meu Contato com Sua Pele enquanto a Vejo Retomar a Voz, Gritando Assustada em Choro Desesperado, Indecisa se Afasta-se ou Suporta o Contato Temendo Sentenciar Toda Sua Familia//. -> A questão é. //Já Divertindo-me Muito//. -> Vai querer estar Viva Amanha a Noite? //Sorrio Tomando sua Pele, Carne, Ossos. Esta Noite Ela fora minha Inteiramente e de Todas as Formas Possíveis e Imagináveis por Minha Criativa Mente//.

//Gritos Desesperados ecoaram a Noite Inteira//.


Importante Observação: Atualmente estou Distante de meu Mestre O Tzimisce Sebastian Sandoval Salvatore, Que Permanece em Nossa Terra Natal a Romênia. Por sua Ordem e Minha Vontade, Dirigi-me a outra Área. Um Solo Sujo sem a Magia e Pureza de Nossa Amada Terra mais Lugar no qual como Ordenado Fixar-me-ei Para Aumentar a Influencia de Meu Lorde e Fazer Oposição ao Avanço Tremere.
Claro que Enquanto Cumpro Suas Ordens Pretendo Elevar meu Próprio Nome, não deixando de Ser-lhe Fiel é Claro mais ao Mesmo Tempo que Represento e Manifesto sua Vontade, Expandindo sua Influencia de Forma Representativa, Busto Também meu Próprio Território. Minha Terra e Meu Poder ((Ainda Não Alcançado nem Reconhecido)). Pretendo ainda Alcançar e Complementar Meus Conhecimentos por Mim Mesmo. Adquirir Força na Busca Inerente a qualquer Demônio. Na Busca que Sempre me Instigou mais a Qual nunca Pude me Dedicar, ((Por Ter Sido Sempre um Servo, e Só um Servo)). Este Velho Demônio ((Sebastian Sandoval Salvatore)) é um Grande Koldun ((Feitiçaria Tzimisce)) e Legalista ((Segue a Trilha do Poder e da Voz Interior)).

Quanto a Minha Força Admito ter Pouca. Tenho muitos anos de vida mais bem pouco como Filho de Cain, já que Minha Longa Idade se Deve a Minha Condição como Revenante Obertus, Carniçal e “Nobreza” ((Szlachta)) não a meus Anos de Noites. ((Tenho então 224 Anos como Revenante e Carniçal e 04 Como Filho de Cain Totalizando 228 Anos de Existência. Reparem que Como Cainita Propriamente Dito Só Tenho 04 Anos)).

Agora Como Filho de Cain e Tendo Mais que um Oceano me Separando de Meus Grilhões. Obedeço As Ordens de Meu Senhor Por Prudência e Respeito ainda Fiel a Meu Mestre ainda que a Liberdade que nunca antes Pude Sentir Muito Menos Desfrutar Esteja Dando-me Inúmeras Novas e Produtivas Experiências.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://constantinopla.forumeiros.com
Victor Vlašicc Obertus



Mensagens : 5
Data de inscrição : 04/12/2009

MensagemAssunto: Re: Victorius Vlašicc Obertus   Ter Jan 12, 2010 7:03 am

Nome do Personagem: Victorius Vlašicc Obertus
Jogador: Victor

Crônica: Oratorium Age's

Natureza: Monstro, Atrocidade Especifica Tortura.
O Monstro sabe que é uma criatura das trevas e age de acordo. O Mal e o sofrimento são as armas do Monstro e ele as usa onde quer que vá. Nenhuma vilania está abaixo dele; nenhum ferimento deixa de ser infligido e nenhuma mentira permanece oculta. Muitos vampiros do Sabá, Membros anciões degenerados e indivíduos instáveis demonstram características do Arquétipo de Monstro.
- Feitos malignos reforçam o senso de propósito do Monstro. Os personagens Monstros devem escolher uma atrocidade específica e podem recuperar um ponto de Força de Vontade toda vez que se entregarem a este impulso. Um Demônio, por exemplo, pode recuperar sua Força de Vontade ao fazer com que as pessoas cometam maldades, enquanto um apóstata recupera sua Força de Vontade ao fazer com que as pessoas duvidem de sua fé. Escolha um destino e cumpra-o.

Comportamento: Perfeccionista
Você não pode admitir imperfeição, seja-nos outros ou (principalmente) em si mesmo. Nem pode tolerar aqueles que não dão o melhor de si para fazer com que tudo em suas vidas seja limpo e apropriado. Embora você seja rígido com os outros, é consigo mesmo que é mais crítico. Tudo precisa estar em seu devido lugar e você precisa sempre ser e fazer o melhor e ser o melhor.
- Readquira um ponto de Força de Vontade sempre que conseguir fazer alguma coisa perfeita, sem um único erro, omissão, ferimento, hesitação, confusão ou obstáculo.

Clã: Tzimisce
Geração: 12ª

Descrição Física: Rosto Serio com Olhos de um Azul Profundo que ao Invez de Janelas Para a Alma atuam como uma Barreira Eficiente. Usa Óculos Simples e Duplos, Sua Face é uma Mascara de indiferença e Porta-se com Respeito, Etiqueta e Elegância. Moreno de Porte Físico Bem Talhado e Proporcional, Distribuído contudo Sem Exageros ainda que Somado a Seu Grande Porte ((Vantagem Corpo Grande)), Cabelos Loiros Lisos e Longos, Roupas Sociais e Impecáveis o que complementa seu Porte Altivo.

Aparência Natural:
Spoiler:
 

Conceito: Jovem Draco-Romeno Koldun do Sabá, Obertus e Legalista.

Curiosidade: Daco-romenos, para distinguir os romenos dos outros povos romênicos dos Bálcãs (aromenos, megleno-romenos e istro-romenos), o termo "daco-romeno" é às vezes usado para se referir àqueles que falam a língua romena padrão e vivem no território da antiga Dácia (hoje compreendendo a maior parte de Romênia e Moldávia), embora alguns daco-romenos possam ser encontrados no leste da Sérvia (que era parte da antiga Moésia).

Perturbação Obertus: Ninfomania/Satiríase [Guia do Sabá 3ª Edição Pag. 163 – 164]. Ou seja, “Compulsão Sexual”.

São notavelmente poucos os vampiros que negam subconscientemente seu Estado Não - Vivo e continuam “sexualmente” atraídos por Mortais, outros vampiros (e, em casos particularmente graves, outros). É claro que a falta de habilidade de procriar de um vampiro, devido a seu estado se Morto-Vivo, torna inevitavelmente frustrantes e infrutíferas quaisquer copulas que ele venha a realizar. No entanto, essas limitações não são obstáculos para os esforços daqueles que sofrem essa perturbação, sendo que eles buscam o ato carnal com todas as suas forças. Gastando um Ponto de Sangue (v. Vampiro: A Máscara, paginas 138 -139), o Vampiro pode “funcionar” e ate mesmo levar um parceiro ao clímax, desde que este não esteja Morto também. Os vampiros sob influencia desta Perturbação submergem em cada vez mais atividades depravadas, na esperança de conseguir de alguma forma estimular os prazeres que lhe foram negados. De fato, alem das relações Hetero e homossexuais “normais”, esses Cainitas podem se entregar à bestialidade, pedofilia, estupro e todos os tipos de atos vis. Um personagem com esta Perturbação esta sempre “a perigo”, e deveria tentar consumar quantas relações ele fosse capaz, de acordo com sua preferência (que pode muito bem Mudar no decorrer da Crônica). Esta perturbação não tem nenhum efeito na mecânica do jogo e foi incluída mais como uma curiosidade do que como uma regra usando dados.

Seita: Sabá

ATRIBUTOS: 07/03/05

FISICOS: 07

Força: 01 + 03 = 04 [Especialização Reservas de Força]
Destreza: 01 + 03 = 04 [Especialização Habilidoso]
Vigor: 01 + 01 = 02

SOCIAIS: 03

Carisma: 01 + 00 = 01
Manipulação: 01 + 03 = 04 [Especialização Convincente]
Aparência: 01 + 00 = 01

MENTAIS: 05

Percepção: 01 + 03 = 04 [Especialização Intuitivo]
Inteligência: 01 + 01 = 02
Raciocínio: 01 + 01 = 02

HABILIDADES: 13/09/05

TALENTOS: 13

Prontidão: 01
Esportes: 03
Briga: 03
Esquiva: 03
Empatia: 01
Intimidação: 01
Lábia: 01

PERICIAS: 09

Empatia com Animais: 01
Ofícios/Artesanato: 01 [Especificação Moldar o Corpo].
Etiqueta: 01
Armas de Fogo/Arqueirismo: 02
Armas Brancas: 02
Furtividade: 01
Sobrevivência: 01

CONHECIMENTOS: 05

Lingüística: 01 [Especificação Idioma Natal Romeno, Idioma Adicional Latim]
Medicina: 01
Ocultismo: 01
Koldunismo: 02

#Koldunismo#

Este novo Conhecimento mede a familiaridade de um Membro com as filosofias do animismo do Leste Europeu. Um jogador Koldun testa esta Habilidade com um de cinco Atributos possíveis quando invocando o poder da mágica. Cada nível também confere mais profundidade em compreender esta mágica espiritual e a manipulação dos elementos naturais.

Nível 1: Estudante: Conhecimento de maiores espíritos e conciliações.
Nível 2: Universitário: Você sabe muito dos velhos caminhos e é reconhecido como um Koldun.
Nível 3: Mestres: Você é Classificado dentre os mais poderosos Koldun das Noites atuais.
Nível 4: Doutorado: Os Espíritos Tremem quando Você está Zangado.
Nível 5: Acadêmico: Um Potente e Sobrenatural Mestre dos Espíritos da Terra.

Possuído por: Alguns Jovens Sabbat; Tzimisces.
Especialidades: Filosofia, Ritual, Erudição, Relações com Espíritos.

ANTESCEDENTES: 00
Mentor: 02 PB
Recursos: 02 PB
Lacaios: 01 PB

DISCIPLINAS: 04

Animalismo: 01
Auspícios: 01
Vicissitude: 01

Feitiçaria Koldúnica: 01
- Linha Primaria: O Caminho do Fogo: 01

Rituais de Feitiçaria Koldúnica
Nível 01: Iluminação

#Feitiçaria Koldúnica#

Muito antes da Magia de Sangue dos Tremere aparecer, os Tzimisce utilizavam a arte mística da Feitiçaria Koldúnica. Ao contrário dos caminhos arcanos da Taumaturgia, a Feitiçaria Koldúnica é uma magia espiritual que manipula os elementos da natureza. Do magicamente rico e doente solo de seus domínios ancestrais, os Tzimisce extraíram poderes demoníacos. Agora, através ritos apropriados de contrição e ligação, um Koldun pode invocar os correspondentes de quatro elementais que dão forma às forças da natureza.
Os caminhos específicos dessa mágica espiritual foram freqüentemente ensinados aos novatos Koldun, baseando-se em suas localizações regionais. Por exemplo, apesar de o Caminho do Espírito e o Caminho do Fogo serem universais, o Caminho do Vento era conhecido apenas entre os Koldun residentes nas montanhas dos Cárpatos. O Caminho da Água era predominantemente praticado por Kolduns que fizeram seus refúgios próximos a corpos de água como o Mar Negro, lagos de planície e de rios como Danúbio, Somes e Ages. O Caminho da Terra era comum entre Kolduns residentes em planícies e planaltos da Europa Oriental.
Nas noites atuais, apenas alguns, Tzimisces muito antigos praticam Feitiçaria Koldúnica. Esses Kolduns sobreviventes são extremamente territoriais, raramente vindo à tona o suficiente para fazer sua presença conhecida, e preferem ficar consigo mesmo, rodeado por ruínas de castelos e mansões um dia poderosos. Com o misterioso desaparecimento dos Tremere Antitribo, o conhecimento e a filosofia do Koldunismo são mais freqüentemente divididos com qualquer um que deseje conhecer sua existência, e tem começado a se espalhar entre os postos da juventude do Sabbat. Alguns suspeitam que os Demônios empreendedores têm espalhado um pouco de sua sabedoria para a seita para manter os velhos caminhos em prática. Sabbats mais cínicos, entretanto, acreditam que um cainíta inteligente ou um bando conseguiram roubar alguns segredos de um Tzimisce negligente e os passaram para quem quis aprender.
Sistema: A Feitiçaria Koldúnica consiste em cinco caminhos elementais básicos e vários rituais, e é aprendido em um sistema similar à Taumaturgia.Os pontos básicos de Koldunismo de um personagem ditam o quão bem ele pode aprender os caminhos da mágica, e cada ponto conseguido na Disciplina Feitiçaria Koldúnica também concede ao personagem outro ponto no caminho de sua escolha. Obviamente, esse ponto a mais não pode ser colocado em um caminho que vá ficar mais elevado que o conhecimento do personagem em Koldunismo, e o personagem nunca deve aprender mais caminhos do que seus pontos em Feitiçaria Koldúnica. Por exemplo, um Koldun já conhece do Caminho do Espírito e o Caminho do Fogo, ele não pode aprender um terceiro caminho a não ser que tenha três ou mais pontos em Feitiçaria Koldúnica ou se um personagem tem nível dois em Caminho do Espírito, ele não pode chegar ao nível três sem ter três ou mais pontos em Koldunismo. Membros interessados em aprender Feitiçaria Koldúnica devem também estudar o conhecimento único do Koldunismo. Para um personagem invocar o poder da Feitiçaria Koldúnica, um jogador deve fazer uma rolagem do atributo apropriado (governado pelo caminho em questão) + Koldunismo (dificuldade 4 + nível do poder). Os atributos para os cincos elementais básicos envolvidos com a Feitiçaria Koldúnica são: Carisma para Caminho do Espírito, Vigor para o Caminho da Terra, Percepção para o Caminho do Vento, Raciocínio para o Caminho da Água e Manipulação para o Caminho do Fogo. Ao contrario da Taumaturgia, não existe um caminho primário que deve ser aprendido; qualquer caminho de Feitiçaria Koldúnica é acessível pelo custo padrão de trilhas, desde que o Koldun possa encontra um professor ou um texto adequado. Advertimos aos narradores que essa é uma forma rara de magia espiritual, e que não é razoável que personagens tenham acesso a ela a não ser que eles façam parte do Sabbat ou que por outro lado, tenham razões para pesquisar Koldunismo. Jogadores devem se lembrar de que a Feitiçaria Koldúnica apenas começou a circular no dentro do Sabbat; e é certo que membros da Camarilla ou dos Independentes não irão pesquisar essa arte, se eles não estiverem cientes de tudo isso.

#O Caminho do Fogo#


Os antigos Koldun criaram o Caminho do Fogo para primeiro manipular o magma fundido que explodia de vulcões encontrados através da Europa Oriental. Então eles desenvolveram seu controle sobre a terra líquida a ponto de invocar um único efeito que não precisa necessariamente ocorrer durante uma atividade vulcânica. Os Koldun que possuem o poder do Caminho do Fogo nas noites modernas são temidos apenas por sua capacidade de destruir muito em um curto espaço de tempo, assim como um vulcão pode eliminar a vida de uma ilha inteira em um dia. Quando invoca os poderes desse Caminho, os olhos do Koldun brilham com um laranja ardente.
Nota: Á discrição do narrador, membros que observem esses poderes em uso podem ser tomados pelo rötschreck (com exceção do Koldun, é claro).

Nível 1: Destruir
Em uma pequena demonstração do poder que é inerente a esse Caminho, um Koldun ordena que o ar ao redor de um objeto aumente em temperatura até a que o objeto entre em combustão.
Sistema: O jogador faz um teste de Manipulação + Koldunismo (Dificuldade 5). O Koldun deve ter um alvo em seu campo visual antes que possa causar sua destruição. Uma vez que esse poder é invocado, o calor ao redor do objeto alvo se intensifica até que o objeto entre em combustão espontaneamente. O narrador pode fazer um teste de absorção para o objeto para ver se ele é definitivamente destruído (determinado pelo tamanho e a qualidade do objeto: três dados para um objeto pequeno ou de má qualidade, cinco para um objeto de tamanho médio e sete dados para um objeto grande ou bem fabricado. Qualquer coisa maior que um carro não pode ser destruída, é muito grande). O objeto deve acumular cinco sucessos em três testes de absorção (dificuldade 5), ou será destruído. Esse poder não pode ser usado em seres vivos ou em familiares. Se o personagem gastar um ponto de Força de Vontade, o objeto irá explodir (à escolha do narrador). Dependendo do objeto, ele não explodirá com força o bastante para causar dano, a não ser que você decida fazê-lo com uma bomba de gasolina, etc.

Nível 2: Despertar a Rocha Fundida
O Koldun pode agora causar a ebulir do núcleo da terra e lentamente escoar pelo chão. Entretanto não há uma quantidade substancial lava, o magma queima quase tudo que venha a entrar em contato com ele. O fogo fundido lentamente abre seu caminho através de troncos de árvores, espalhando-se da base ao topo de uma casa e pode até mesmo devorar uma porta de metal.
Sistema: Apenas magma o bastante para encher uma banheira vaza através do chão, de qualquer forma ele faz com que uma vítima sofra três níveis de vitalidade de dano agravado. Cada sucesso que o jogador obtém em um teste de Manipulação + Koldunismo (Dificuldade 6) mantém a lava superaquecida por um turno. Ela escoa pelo chão em qualquer direção que o Koldun deseje, mas será tão lento quanto melaço. Quando a duração desse poder acabar, o magma esfria instantaneamente, criando uma pequena placa de rocha sólida.

Nível 3: Portões de Magma
O Koldun ordena à pedra fundida que borbulhe do solo em um anel circular, 3 metros de altura. O fluxo de lava é constante, criando um muro temporário de rocha superaquecida ao redor do Koldun. Enquanto esse poder estiver efetivo, é praticamente impossível para indivíduos atravessarem os Portões de Magma sem causarem a si mesmos severos danos corporais. Isso é um fator extremamente determinante para pessoas que até mesmo se aproximem do muro, já que ele emite calor que provoca graves queimaduras.
Sistema: Depois de gastar um ponto de Força de Vontade, todo o sucesso que o jogador consegue em um teste de Manipulação + Koldunismo (Dificuldade 7), a lava fervente continuará cercando sua pessoa por dois turnos. Indivíduos que tentem penetrar nos Portões de Magma devem primeiramente fazer um teste de Coragem (Dificuldade Cool. Se bem sucedido, ele pode continuar a se aproximar da barreira aquecida, mas sofrerá um nível de vitalidade de dano letal — ou dano agravado se for afetado por fogo. Falhar nesse teste de Coragem significa que a mente sucumbiu ao seu instinto defensivo de auto-preservação, uma segunda tentativa de penetrar através da barreira requer um gasto adicional de um ponto de Força de Vontade. Qualquer um que toque fisicamente os Portões de Magma sofre três níveis de vitalidade (não dados) de dano agravado.

Nível 4: Onda de Calor
O Koldun age como um conduíte para gêiseres de vapor e evoca uma explosão de ar desidratante, debilitando e ressecando um oponente.
Sistema: O jogador gasta um ponto de Força de Vontade e faz um teste de Manipulação + Koldunismo (Dificuldade Cool. O vampiro chama o ácido sulfídrico do manto terrestre e explode um alvo. Vítimas mortais sofrem cinco níveis de vitalidade de dano letal já que seus corpos se desidratam. Vampiros reagem similarmente e também sofrem cinco níveis de vitalidade de dano letal, que eles podem absorver. Familiares também perdem cinco pontos de sangue que evaporam do corpo (independente do teste de absorção), resultante do calor extremo desse gás. Note que isso pode colocar alguns familiares em frenesi ou torpor.

Nível 5: Explosão Vulcânica
Nesse nível de domínio do Caminho do Fogo, um Koldun comanda a lava a explodir do chão em um imenso jorro. A rocha fundida espirra em um grande arco movendo-se então em pequenos rios em todas as direções, queimando, derretendo e destruindo a maioria das coisas em seu caminho. Carros derretem nesses rios, árvores pegam fogo, e queimam até o chão, e casas irrompem em um inferno de chamas na trilha de destruição.
Sistema: Esse poder não é sutil. A lava irrompe 6 metros do ar ao subsolo com o gasto de um ponto de Força de Vontade e sucesso em um teste de Manipulação + Koldunismo (Dificuldade 9). Para cada sucesso obtido pelo jogador, a lava continua explodindo do subsolo e movendo-se em rios em todas as direções por um turno. Qualquer coisa que venha a entrar em contato com essas rochas fundidas sofre três níveis de vitalidade de dano agravado por turno (absorvível apenas com Fortitude). O narrador deve decidir quanto tempo os objetos ficam intactos depois de entrarem em contato com a lava antes de sua ignição ou dissolvição. Uma vez que esse poder expira, a lava irá cessar sua erupção a todo o magma irá esfriar rapidamente, prendendo objetos remanescentes dentro do fluxo do rio em uma fina lâmina de rocha.

#Rituais de Feitiçaria Koldúnica#

Como a Taumaturgia, a Feitiçaria Koldúnica garante ao seu praticante acesso à rituais. Apesar de mágicos, estes rituais não são Herméticos e são incompatíveis com qualquer forma de magia Tremere ou Giovanni. A maioria dos rituais requerem um sacrifício de sangue por cima de qualquer outro componente específico. Somente alguns poucos rituais são apresentados aqui - Narradores e jogadores de koldun são encorajados a criar seus próprios, para refletir o laço único entre os feiticeiros Tzimisce e suas terras natais.
Sistema: O jogador deve fazer um teste bem sucedido de Inteligência + Koldunismo (dificuldade 4 + o nível do ritual) e derramar sangue a fim de lançar qualquer ritual. Se o sangue pertence ou não ao Koldun não importa; um ponto de sangue deve ser derramado por nível do ritual para lançar sua magia espiritual.

Nível 1: Iluminação
Todas as coisas na natureza contém um espírito de algum tipo, que são referidos como léleks (espírito em húngaro). Feiticeiros Koldúnicos devem primeiro ser capazes de reconhecer um espírito da natureza antes que eles possam manipulá-los em servidão corretamente. Este ritual é necessariamente lançado freqüentemente, através disso reforçando a ligação do koldun com a terra e a natureza. Muitos dos velhos koldun simplesmente não confiavam que sua ligação a terra permaneceria intacta. Por isso, eles dedicavam uma noite da semana para reconectar-se completamente com os espíritos da terra. Estes léleks são mais reconhecidos "sentindo" do que visualmente percebidos. Um lélek viajando numa brisa perto do koldun pode instilar uma sensação estática na nuca do feiticeiro. Árvores sadias podem parecer ter um fraco brilho verde em seus troncos. De qualquer modo ele acredita que percebe estes espíritos, o koldun desperta para um novo sentido após lançar este ritual.
Sistema: O jogador koldun gasta um ponto de sangue e faz um teste. Cada sucesso que ele acumula aumenta a duração de sua ligação aos espíritos da natureza dos quatro elementos naturais.

1 sucesso Uma hora
2 sucessos Uma noite
3 sucessos Uma semana
4 sucessos Um mês
5 sucessos Um ano

VIRTUDES: 05

Convicção: 01 + 01 = 02
Instinto: 01 + 02 = 03
Coragem: 01 + 02 = 03

A Trilha do Poder e da Voz Interior: 05

FORÇA DE VONTADE: 03 + ]07 Pontos Bônus] = 10

Pontos de Sangue: 11

QUALIDADES E DEFEITOS: Qualidades 10 / Defeitos 07

Corpo Grande (04 Pontos de Qualidade)
Você é anormalmente grande, medindo talvez mais de dois metros de altura. Além de torná-lo extremamente notório em público, essa massa extra lhe confere um nível de vitalidade Machucado a mais. Os personagens que têm esta Qualidade também podem ganhar bônus para empurrar objetos, abrir portas bloqueadas, evitar ser derrubado etc.

Vontade de Ferro (03 Pontos de Qualidade)
Quando você está determinado e a sua mente concentrada, nada pode afastá-lo de seus objetivos. Quando for afetado por um poder de Dominação, você pode gastar um ponto de Força de Vontade para eliminar os efeitos. Além disso, você recebe três dados adicionais para resistir aos efeitos de qualquer mágica, feitiço ou linha Taumatúrgica que afete a mente.

Imunidade ao Laço de Sangue (03 Pontos de Qualidade)
Você não pode ser submetido a um Laço de Sangue. Não importa quanto sangue você beba de outros vampiros, você jamais será preso por um Laço de Sangue.

Fraqueza Revenante “Obertus, Perturbação” (03 Pontos de Defeito)
Você foi parte de uma Família Revenante. Seguindo o Abraço, você passou a sofrer da fraqueza de seu clã e da limitação de sua Família revenante; seja a propensão dos Batrovicth a cair em fúria, o laço de Sangue dos Grimaldi ao Sabá, a instabilidade dos Obertus ou a vontade Fraca dos Zantosa. O Narrador também pode permitir que você manifeste uma fraqueza de uma Linhagem Revenante perdida ou destruída. Isso poderia adicionar mistério ao seu prelúdio e permitir um pouco de investigação Genealógica.
Sistema TM: Como dito acima, você sofre da fraqueza de seu clã bem como da limitação de sua família revenante. Você deveria trabalhar com seu Narrador se decidir Manifestar uma Limitação de uma Linhagem Revenante perdida ou destruída.

Dependência do Solo Ancestral (04 Pontos de Defeito)
A dependência de seu solo nativo impediu a migração dos Tzimisce da Europa Oriental. Até umas poucas crianças Abraçadas em outro lugar precisam do solo de uma terra natal que elas nunca tinham visitado, deixando-as particularmente vulneráveis aos inimigos que saibam desta fraqueza. Nas noites Modernas, o transporte rápido deixa tal ameaça muito menos severa, mas ate mesmo as crianças Abraçadas gerações depois de seus ancestrais se mudarem ocasionalmente manifestam este Defeito.
A vontade dos Espíritos da Terra natal Ancestral dos Tzimisce pesa muito em seu sangue – O solo de um lugar importante para você enquanto Mortal não faz diferença. Você atualmente precisa de dois punhados do solo maculado da terra Natal Tzimisce da Europa Oriental. A Dependência Ancestral do Solo mais comumente se manifesta nas crias de Koldun e no ramo do Clã que acredita descender de Yorak. Os Personagens Abraçados na Europa Oriental não podem escolher este Defeito (eles já dependem do Solo Local).
Sistema TM: Sua dependência no solo magicamente rico e doente da Europa Oriental é tão severa que, até você estar em posse de dois punhados dela, sofrerá uma penalidade de duas Características em todas as disputas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victor Vlašicc Obertus



Mensagens : 5
Data de inscrição : 04/12/2009

MensagemAssunto: Re: Victorius Vlašicc Obertus   Ter Jan 12, 2010 7:05 am

Nome: Victorius Vlašicc Obertus
Jogador: Victor
Crônica: Oratorium Age's
Natureza: Monstro
Comportamento: Perfeccionista
Clã: Tzimisce
Geração: 12ª
Refúgio: Casa de Lucius
Conceito: Vide Fich Explicativa
_
_
Físicos
ATRIBUTOS
Sociais
_
Mentais
Força ●●●●○ Reservas de Força
Destreza ●●●●○ Habilidoso
Vigor ●●○○○
Carisma ●○○○○
Manipulação ●●●●○ Convincente
Aparência ●○○○○
Percepção ●●●●○ Intuitivo
Inteligência ●●○○○
Raciocínio ●●○○○
_
_
Talentos
HABILIDADES
Perícias
_
Conhecimentos
Representação: ○○○○○
Prontidão: ●○○○○
Esportes: ●●●○○
Briga: ●●●○○
Esquiva: ●●●○○
Empatia: ●○○○○
Intimidação: ●○○○○
Liderança: ○○○○○
Crime: ○○○○○
Labia: ●○○○○
Empatia com Animais: ●○○○○
Arqueirismo: ●●○○○
Artesanato: ●○○○○ Moldar o Corpo
Etiqueta: ●○○○○
Herborismo:○○○○○
Armas Brancas: ●●○○○
Música: ○○○○○
Cavalgar: ○○○○○
Furtividade: ●○○○○
Sobrevivencia: ●○○○○
Instrução: ○○○○○
Sab. Popular: ○○○○○
Investigaçao: ○○○○○
Direito: ○○○○○
Linguistica: ●○○○○ Nat. Romeno Ad. Latim
Medicina: ●○○○○
Ocultismo: ●○○○○
Politica: ○○○○○
Ciencia: ○○○○○
Koldunismo: ●●○○○
_
_
Antecedentes
Mentor ●●○○○
Recursos ●●○○○
Lacaios ○○○○
_____________ ○○○○○

VANTAGENS

Disciplinas
Animalismo ●○○○○
Auspícios ●○○○○
Vicissitude ●○○○○
Feitiçaria Koldúnica ●○○○○

_
Virtudes

Convicção ●●○○○
Instintos ●●●○○
Coragem ●●●○○
_

Qualidades 10 / Defeitos 07
1. Corpo Grande
2. Vontade de Ferro
3. Imunidade ao Laço de Sangue
4. Fraqueza Revenante
5. Dependência do Solo Ancestral
6.
7.
8.
9.
10.
Trilha do Poder e Voz Int.
● ● ● ● ● ○ ○ ○ ○ ○

Força de Vontade
● ● ● ● ● ● ● ● ● ●
[X][X][X][X][X][X][X][X][X][X]

Pontos de Sangue
[X][X][X][X][X][X][X][X][X][X]
[X][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ]
Vitalidade
[ ] Escoriado
[ ] Machucado -1
[ ] Ferido -1
[ ] Vantagem Corpo Grande
[ ] Ferido Gravemente -2
[ ] Espancado -2
[ ] Aleijado -5
[ ] Incapacitado
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victor Vlašicc Obertus



Mensagens : 5
Data de inscrição : 04/12/2009

MensagemAssunto: Re: Victorius Vlašicc Obertus   Ter Jan 12, 2010 7:06 am

Pequeno Prelúdio

Lucius não Esperava muito Para Si Mesmo, Herdara o Oficio do Pai e Embora Tivesse Verdadeiro Talento era Alguém Cansado e sem Expectativas. Sua Infância Fora Marcada Pelo Trabalho do Pai e Agora no Lugar Dele ((Já Falecido)) Trabalhava com Igual Empenho Ainda que não Lhe Fosse Suficiente ((Nunca o Era)), Muitas Vezes Deixava de Comer Trabalhando Ate a Exaustão em Uma Tentativa de suprir seus Pecados e Assim conseguir Elevar suas Pesas. Que Mesmo Assim Nunca Estavam Boas O Suficiente ((Ele se Considera Medíocre)) Faltava Algo em Sua Vida ... e Mesmo os Amigos a Bebida e o Trabalho não conseguiam Suprir.

Recentemente em Uma de Suas Idas a Floresta, na qual retirava Madeira para uma Encomenda Pedida, fora Surpreendido pela Presença de Um Homem, Foi fácil ver que este não era Mesmo um Homem mais quando Percebeu Isto já era por Demais Tarde. Acordara Posteriormente Preso em Uma Caverna e a Mercê da Criatura Medonha, que Tirara-lhe Tudo que Sabia sobre as Terras em que Estavam e as Pessoas Dela ((O Tzimisce o Torturara para a Obtenção de Informações e Prazer)).

A Criatura Medonha ... Mais do que Qualquer Coisa "Ele" o Assustava, mais do que qualquer um, "Ele" o Machucava e ao Morder-lhe dava-lhe um Prazer sem Igual. Algo que nem ao Longe Vislumbrava e sem o qual não mais conseguiria Viver. Era Isso, só Podia Ser, Finalmente Achara o que Faltava em sua Vida, Aquele ser Tão Único e Grandioso precisava Dele, Dava-lhe Parte Dele Mesmo e ao Dar-lhe isso Completara o que Faltava na Vida do Artesão. Ele Agora Tinha um Motivo Grandioso Para Viver ele Agora Tinha um Mestre um Propósito Superior. Nunca Estivera Antes tão Feliz, sua Vida Nunca antes Tivera Propósito tão Elevado.

Desde que Encontrara seu Mestre Nunca lhe Faltou Inspiração para suas Obras.

Nome: Lucius
Jogador: NPC
Crônica: Oratorium Age's
Natureza: Masoquista
Comportamento: Penitente
Clã: Carniçal de Victor
Classe: Servo
Refúgio: Casa Propria
Conceito: Artesão
_
_
Físicos
ATRIBUTOS
Sociais
_
Mentais
Força ●●○○○
Destreza ●●○○○
Vigor ●●●○○
Carisma ●●●●○ Sociabilidade
Manipulação ●●○○○
Aparência ●●●○○
Percepção ●●○○○
Inteligência ●●○○○
Raciocínio ●●○○○
_
_
Talentos
HABILIDADES
Perícias
_
Conhecimentos
Representação: ●●○○
Prontidão: ○○○○○
Esportes: ○○○○○
Briga: ○○○○○
Esquiva: ○○○○○
Empatia: ○○○○
Intimidação: ○○○○○
Liderança: ○○○○○
Crime: ○○○○○
Labia: ●●○○
Empatia com Animais: ●○○○○
Aequeirismo: ○○○○○
Artesanato: ●●●○ Detalhes
Etiqueta: ●○○○○
Herborismo:●●●○ Culinaria
Armas Brancas: ○○○○○
Música: ○○○○○
Cavalgar: ●○○○○
Furtividade: ●○○○○
Sobrevivencia: ●○○○○
Instrução: ●●○○○
Sab. Popular: ●●○○○
Koldunismo: ●○○○○
Direito: ●○○○○
Linguistica: ○○○○○
Medicina: ○○○○○
Ocultismo: ○○○○○
Politica: ○○○○○
Ciencia: ○○○○○
Senescalia: ●○○○○
_
_
Antecedentes
Aliados ●●○○○
Contatos ●●○○○
Influencia ●○○○○
Fama ○○○○

VANTAGENS

Núminas e Outras Características

Fortitude______ ○○○○
_____________ ○○○○○
_____________ ○○○○○


_
Virtudes

Consciência ●●○○○
Autocontrole ●●●●○
Coragem ●●●●○
_

Qualidades / Defeitos
1. Noções Românticas 2D
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
Humanidade/Trilha
● ● ● ● ● ● ○ ○ ○ ○

Força de Vontade
● ● ● ● ● ● ○ ○ ○ ○
[ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ]

Pontuação de Fé
[ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ]
[ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ]
Vitalidade
[ ] Escoriado
[ ] Machucado -1
[ ] Ferido -1
[ ] Ferido Gravemente -2
[ ] Espancado -2
[ ] Aleijado -5
[ ] Incapacitado

Aliados:
1 – Eric Donavan, ((21 Anos)) Proprietário de Taverna. ((Uma das Mais Prosperas e Freqüentadas do Lugar)), Costuma dar Informações Úteis e Manter Lucius Atualizado Sobre Viajantes e Novidades Relevantes. ((Também costuma conter um Pouco a Língua para Não Prejudicar Lucius e informá-lo de Perigos Relevantes)). Afinal São Amigos desde a Infância. ((Cresceram Juntos)) e Lucius nunca Decepcionou essa Amizade, Presta-lhe Serviços em Couro e Madeira ((Artesanato)) assim como lhe Vende Fermentos e Algumas Ervas Importantes Para Cozimento ((Herborismo)) Por um Preço menor Ajustado ((Por sua Velha Amizade)). Fazendo da Taverna do Amigo um de seus Principais Pontos de Parada.
2 – Marco Braga, ((32 Anos)) o Padre da Paróquia Local Vê Lucius com Bons Olhos. ((Ele é um Cristão Devotado, Cumpridor de Todos os Seus Deveres Para com a Igreja e Melhor do qual o Padre Não Suspeita)). Alem disso suas Contribuições a Igreja. ((Não Tanto em Dinheiro já que Sede o que Sobra de seus Ganhos ao Tzimisce)). Mais sim em Ídolos de Madeira cedidos por sua “Fé” de Boa Vontade ou Presos Ilusórios a Paróquia do Padre. Renderam-lhe as Graças do Padre que Costuma Recorrer a Ele sempre que Precisa de Algum Trabalho Artesão. Alem Disso Marco e Lucius Mantém uma Ótima Relação e Lucius Nunca Revelou a Ninguém ((Exceto ao Tzimisce)) ter Pego o Padre em Pecado ((Fornicação e Adultério com Bem Mais de Uma Fiel)). O Padre vê Lucius como um Confidente e Leal Amigo.

Contatos:
1 – Willian Valore, ((17 Anos)) Filho mais Velho do Nobre Proprietário das Terras. ((Vê Lucius como um Servo Útil que já lhe Tirara de Muitas Enrascadas Durante a Infância)). Também recorrer aos Serviços do Artesão Principalmente Em couro e Referente a Roupas Para Caça ou Esporte. ((O Artesão às Vezes Também é Chamado Para Retirar e Refinar o Couro do Abate da Caçada do Jovem Herdeiro que Aprecia o Trabalho de seu Súdito)).
2- Anabelle Valore, Irma mais Jovem de Willian Valore. Também Filha do Nobre e Compradora Compulsiva de Esculturas em Madeira ((principalmente Pequenos Animais ou Cavalos)). A Jovem Ainda Pura e Não dada em Casamento ((Tem 11 Anos)) Costuma Requerer a Presença do Artesão em Sua Casa aonde Passa-lhe Inúmeros Pedidos de Uma Única Vez ((Sempre na Presença de Suas Damas de Companhia Claro)). Adora Falar e não Tem muita Preocupação quanto as Fofocas que Faz a Lucius, às Vezes lhe Passa Algumas Informações Importantes Sobre a Corte. ((Por Vontade Própria ou quando Percebe o Interesse do Rapaz Por um Desconto em seu Pedido)).

Influencia:
1 – É Alguém Carismático e Bem Visto na Cidade. ((Sua Voz Tem Peso)).

Fama:
1 – Como Artesão Competente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victor Vlašicc Obertus



Mensagens : 5
Data de inscrição : 04/12/2009

MensagemAssunto: Re: Victorius Vlašicc Obertus   Ter Jan 12, 2010 7:07 am

Victor Pouco Sabe sobre o Passado de Seu Senhor, Embora Muito o Considere e Mesmo Tenha a “Presunção” de uma Consideração Recíproca. Seu Senhor Mostra-se Muito Reservado quanto a sua Própria Historia, Transparecendo Apenas Algum Ressentimento Rara e Sutilmente. Momentos que Tenta Camuflar mais nos quais Victorius percebe "Algum" Sofrer e Mesmo Amargura. ((Ao que Parece sua Visão debilitada guarda-lhe Lembranças Dolorosas)). Um Ponto Sensível que ele Dificilmente Toca.

Contudo Sempre se Mostrou um Excelente Mentor ((Dentro dos Padrões Tzimisce)). E ainda que Tenhamos Alguns Pontos Adversos ((Que Tento não Evidenciar para não Correr o Risco de aborrecê-lo ou mesmo criar qualquer Dissabor)). Mantemo-nos Unidos Por nossa Relação de Sangue e Uma Consideração Enorme já que Este Fora o Único a Me Reconhecer. ((O Que não Pretendo Esquecer)). Atualmente Meu Mentor Tenta Aumentar sua Influencia em Nossa Terra Natal a Romênia, Enquanto Eu, Fui Enviado à Itália Instruído a Elevar a Influencia de Nosso Sangue Nestas Terras Distantes Mais Tão Importantes no Mundo dos Membros. ((Atualmente Mantemos Comunicação Por Cartas)).

Nome: Sebastian S. Salvatore
Jogador: NPC
Crônica: Oratorium Age's
Natureza: Celebrante
Comportamento: Perfeccionista
Clã: Tzimisce
Geração: 11ª
Refúgio: Grande Propriedade
Conceito: Erudito
_
_
Físicos
ATRIBUTOS
Sociais
_
Mentais
Força ●●○○○
Destreza ●●○○○
Vigor ●●○○○
Carisma ●●●○○
Manipulação ●●●○○
Aparência ●●○○○
Percepção ●●●○○
Inteligência ●●●●○ Koldúnismo
Raciocínio ●●●○○
_
_
Talentos
HABILIDADES
Perícias
_
Conhecimentos
Representação: ●○○○○
Prontidão: ●○○○○
Esportes: ○○○○○
Briga: ●○○○○
Esquiva: ●○○○○
Empatia: ○○○○○
Intimidação: ○○○○○
Liderança: ○○○○○
Crime: ○○○○○
Labia: ●○○○○
Empatia com Animais: ○○○○○
Aequeirismo: ○○○○○
Artesanato: ○○○○○
Etiqueta: ●●●○○
Herborismo: ●●●○○
Armas Brancas: ●○○○○
Música: ●○○○○
Cavalgar: ●○○○○
Furtividade: ○○○○○
Sobrevivencia: ○○○○○
Instrução: ●●●○○
Sab. Popular: ○○○○○
Investigaçao: ○○○○○
Direito: ○○○○○
Linguistica: ○○○○○
Medicina: ●●●○○
Ocultismo: ●●●○○
Politica: ○○○○○
Ciencia: ●●●○○
Senescalia: ●○○○○
_
_
Antecedentes
Geração ●○○○○
Recursos ●●○○○
Lacaios ●●○○○
Contatos ●●○○○

VANTAGENS

Disciplinas
Animalismo ●○○○○
Auspícios ●○○○○
Vicissitude ●○○○
Feitiçaria Koldúnica ●○○○

_
Virtudes

Convicção ●●○○○
Instintos ●●●○○
Coragem ●●●○○
_

Qualidades / Defeitos
1. Caolho (Olho Direito) 2D
2. Deficiência Visual 2D
3.
4. Objetivo Condutor 2D
5. (Elevar seu Corpo)
6.
7.
8.
9.
10. Nobreza 3Q
Trilha do Poder e Voz Int.
● ● ● ● ● ○ ○ ○ ○ ○

Força de Vontade
● ● ● ● ● ○ ○ ○ ○ ○
[X][X][X][X][X][ ][ ][ ][ ][ ]

Pontos de Sangue
[X][X][X][X][X][X][X][X][X][X]
[X][X][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ][ ]
Vitalidade
[ ] Escoriado
[ ] Machucado -1
[ ] Ferido -1
[ ] Ferido Gravemente -2
[ ] Espancado -2
[ ] Aleijado -5
[ ] Incapacitado
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victor Vlašicc Obertus



Mensagens : 5
Data de inscrição : 04/12/2009

MensagemAssunto: Re: Victorius Vlašicc Obertus   Ter Jan 12, 2010 7:10 am

A Casa de Lucius “O Artesão”, Fica Afastada do Vilarejo, Próxima Aos Limites das Terras Daquela Região e aos Arredores da Estrada, Estando Uma Hora a Galope da Casa Mais Próxima o que Lhe Assegura Certa Privacidade Embora na Verdade o Afastamento da Morada Tenha Como Finalidade Inicial Dar a Seu Dono Maior Proximidade a Mata Próxima. Usada para a Retirada de Matéria Prima, Sendo Estas Principalmente Madeira Para Construção de Moveis e Esculturas, Sua Maior Fonte de Renda Apesar de Também ser Igualmente Habilidoso com a Utilização e Preparo de Couro Animal, Alem do Cultivo de Ervas Para Cozimento e Utilização no Preparo de Alimentos.

Para Melhor Visualização de Seu Trabalho Aqui poderá Encontrar uma de Suas Ultimas Pesas:

Spoiler:
 

E Aqui Seu Ultimo Serviço Prestado a Igreja Local:

Spoiler:
 

Suas Obras Sendo Utilitárias, Decorativas ou de Consumo, são Bem Populares na Região e Bastante Requisitadas o que lhe assegura Boa Demanda Mantendo os Pedidos em Alta na Maior Parte do Ano. O que lhe Permite Viver Bem ainda que sem Muitas Regalias ou o Conforto Ostentoso e Parasitário dos Nobres da Região.

A Antiga Casa em Madeira Maciça e Resistente, Esta na Família a Gerações sendo que Coube a Cada um desses Filhos Melhorar a Morada que Hoje Apesar da Rusticidade Deve Muito Pouco sendo um Abrigo Seguro ao Rigor de Chuva ou Inverno. Solida e Acolhedoura.

A Casa é Formada por Quatro Seguimentos Interligados e Próximos, Sendo o Primeiro da Esquerda Para a Direita a “Casa Original” Enquanto o Resto Fora Construído Depois e Agregado a Morada Antes Simples.



O Primeiro Seguimento da Esquerda para a Direita Funciona como Uma Oficina Artesanal. É Aqui que a Maior Parte se não Todas as pesas são Criadas. O Lugar Possuí Dois Cômodos Sendo um no Nível do Solo e outro Acima no qual pode-se chegar pelo Intermédio de uma Pequena Escada, contudo Ambos os Cômodos Funcionam como Oficina e um Apenas Complementa o Outro Tanto em Ferramentas, quanto em Variedade de Peças e Aparatos Para Confecção e Criação das Obras. O Lugar Também Cheira a Madeira Nova e Muitas Estatuas Ainda Inacabadas e Ferramentas Estão Espalhadas e Visíveis no Lugar, Contrariando dos Esforços Visíveis de Lucius Que Tenta Sempre que Pode Manter o Local Arrumado. Por Fim Nenhuma Arrumação Dura Muito Tempo e as Ferramentas Tendem a se Amontoar Pelo Chão e/ou Grande Parte das Prateleiras.

O Segundo Seguimento Funciona como um Grande Armazém. Aqui é Deixada Grande Parte da Matéria Prima que será Convertida Depois em Alguma Obra, é um Cômodo Retangular e Grande que Comporta Também os Suprimentos, Tanto Alimentícios quanto Materiais.

Na Verdade o Lugar em Si não Conta com Tantos Suprimentos o que Pode levar um Ladrão Inoportuno a Achar que o Artesão se Encontra em Necessidade ou Próximo Disso no Entanto a Uma Pequena Passagem Embaixo de Alguns Barris que Leva a uma Pequena Camara no Subsolo. Na qual se Encontra a Maior quantidade de suas Reservas em Comidas e Especiarias de Algum Valor. Uma Ultima Medida Para Afastar Ladrões e Outros Tipos de Aproveitadores.



O Terceiro Seguimento é Composto por Dois Cômodos, Um Cômodo no Térreo e o Outro acima. Sendo que o Primeiro Age como uma Sala e o Outro o Quarto de Lucius. A Casa em Si é Bem Simples mais Diferente do que se Pensa Conservada já que a Madeira esta em Bom Estado e Lucius passa Anualmente um Preparado que Afasta os Insetos e Parasitas que a Apodreceriam. Ela Possui Poucos Moveis complementando seu Aspecto Simples Contudo estes Moveis são Bem Organizados, Alinhados de Forma Precisa e Belos. Um Exemplo do Trabalho de Lucius e outros de Seus Predecessores que Contribuíram Tanto para a Construção da Casa quanto na Confecção de Sua Mobília. A Sala Possui uma Lareira Construída em Pedra para conter o Avanço das Chamas sobre o Resto da Construção em Madeira. Alem da Lareira conta com uma Mesa Algumas Cadeiras e mais ao Canto Duas Poltronas Confortáveis Próximas a uma Mesa Pequena que na maior parte do Tempo Funciona como uma Bancada para os Pés. Conta Também com um Armário visto Solitário ao Canto Próximo da Escada que da para o Quarto Acima. O Quarto Acima, Conta com Um Armário Imenso de Parede Inteira o que Destaca o Trabalho do Artesão Alem de uma Cama de Casal ao Centro, Próximo a Entrada do Cômodo Superior ((Quarto)) é Possível ver um já bem Ocupado Cabideiro a Sustentar Algumas Peles e Outras Roupas Já Surradas Pelo Uso. O Cabideiro Fora Colocado Próximo a Porta Para Obstruir a Visão do Quarto e Cumpre Bem sua Função. ((De Fora é Difícil ver o que Acontece no Interior do Quarto)).

O Quarto e Ultimo Seguimento Funciona como um Seleiro Aqui Ficam as Ovelhas Tão Necessárias por Sua Preciosa Lã, Assim como Alguns Poucos mais Preciosos Animais. Esta Habitação como o Segundo Seguimento da Casa é Retangular e Largo mais Diferente Desta Possui Diversas Divisórias, Cercados e Proteções Para Melhor Guardar os Animais. Separando-os por Espécie e Impedindo um Contato Hostil entre Eles. Alem de Visar Como Poucos seu Conforto e Segurança Claro.

Lucius Abriga em sua Morada Victorius, o Tzimisce Agora Como seu Mestre e Inspiração. A Criatura da Noite Tem o Mortal a Mercê de Seus Caprichos e seu Domínio Mostrou-se Ate Então Completo Ainda que Recente. O Tzimisce Terminara de se Alojar e Atualmente Dorme em uma Grande Cova de 8x6m Escavada no Solo úmido Abaixo do Celeiro e Cujo qual Esta Fortificando a Começar Pelas Paredes e Revestimentos Tornando o Refugio Improvisado Estável e Resistente. Esta Morada Progressivamente Melhorada a Cada Noite Já Atente as Necessidades Básicas do Filho de Cain que Acima de qualquer Coisa Busca Privacidade e Segurança ((O que Não quer Dizer que Esteja Ideal Claro)). As Acomodações lhe Fornecem a Necessária Proteção Contra o Sol, Alem de um Descanso Seguro e sem Visitas Diurnas o que a Entrada Bem Camuflada Dentro do Celeiro Assegura. ((é Bem Difícil Achar o Local Exato se Não Souberem de Fato Aonde e o que Procurar)). Por Fim Considera Vital Manter o Anonimato Deste Refugio Já que Neste se Encontrão os Caixotes de sua Terra Natal a România, Local Sagrado e Solo sem o qual Não consegue Descansar bem Nem Reaver suas Forças. ((Três Dos Quatro Caixotes do Solo de Sua Pátria Encontram-se Neste Local, o Ultimo Foi Enterrado em um Local Distante mais ainda nas Terras deste Feudo. Uma Medida de Precaução para Momentos de Emergência Visando Impedir que o Tzimisce sofra uma “Surpresa Amarga” e certamente Debilitante se Privado de seu Refugio)).

Victorius o Tzimisce Romeno, Percorrera um Longo Percurso Desta já Tão Citada Terra ate sua Atual Localização. Oculto e Adormecido ((em Torpor Voluntario)) em Um dos também já Citados Quatro Caixotes, Companhia Indispensável em sua Viagem. Fora Deixado aos Cuidados de um dos Fieis Carniçais de seu Senhor, Pablo o Servo que se Responsabilizara Pela Tarefa Árdua e Desgastante de seu Transporte ate a Atual Localidade. Era um Influente Comerciante com acesso a Rotas Marítimas e Carregado e Relacionado o Suficiente para não Sofrer Inspeções ou Ataques.

Depois de Muito Tempo que não sei Precisar ao Certo. ((Estava em Torpor)). Fui Desperto pela Alimentação que o Mesmo me Proporcionara ((Um Outro Viajante que Nunca Chegou a Concluir sua Viagem)). A Tarefa do Servo fora Cumprida sem Grandes Contratempos, e já Perto das Terras que seriam por Mim Visadas ((como Ordem de meu Mentor)). Desperto e Alimentado ainda Contei com o Auxílio do Mesmo Servo ((Pablo)) para Adentrar com Minhas Posses Na Mata. Buscando a Caverna Parcialmente Oculta mais que Serviria Como Abrigo Temporário. Local Próximo do qual Pouco Tempo Depois Encontrei Lucius e Para aonde o Levei em Minha Busca por Informações Posteriormente o Tornando meu Servo e Mudando-me Para a Morada do Mesmo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Victorius Vlašicc Obertus   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Victorius Vlašicc Obertus
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Oratorium Age's :: Crie aqui seu personagem :: Fichas em Andamento-
Ir para: